Da Década!

Mostra! Dia 1

Posted in Cinema by Tiago Lopes on outubro 21, 2011

As Presas (La Traque / França / 2010)

Não é tão difícil montar a sua lista de interesses entre os mais de 200 filmes exibidos na Mostra, como pensava que seria. Primeiro, seleciono os feitos por diretores e roteiristas que já conheço e gosto. Se o elenco tiver uns nomes que me agradem, também ajuda. Mas só por esses critérios, não passei dos 30 filmes. O restante, escolho por meio das breves sinopses, google e resenhas de festivais internacionais onde já foram exibidos. Essa é a parte que parece complicada, mas nem é. A mostra tem um bocado de títulos sob o gênero ATUALIDADES. Quem faz esse tipo de filme se sente alforriado da necessidade de criar uma obra decente porque já está fazendo um favor pras madames só em falar de um tema *espinhoso*.

A organização da mostra acha que esse tipo de filme é o que mais chama público (vai que é, eu sou novato por aqui), tanto que a sinopse de As Presas nem deixa claro que é um filme de suspense. Mas a imagem entregou o gênero e a França está há uns 10 anos saracoteando sobre os EUA em filmes de suspense e ação (de cabeça: Mesrine, Ne Le Dis à Personne, Ils, Frontière(s), 36).

O início de As Presas é um primor de concisão. É regra em filmes de suspense mostrar as vítimas em momentos de descontração no início do filme. Elas se curtem e você se apega mais ainda a elas, para aumentar o impacto das suas mortes. O início de As Presas foge disso porque mostra todos os personagens do filme em conflitos breves. Nada muito sério, mas o suficiente para você perceber que ninguém se bica (os motivos dessas pequenas rusgas vão servir para justificar o comportamento de todos ao longo do filme). É tanto que, quando começa a matança, não dá pra sentir muita pena de ninguém. Para compensar a falta de impacto por essa via, o diretor optou por mortes estupendamente violentas, precedidas de uma tensão construída sobre o sempre válido artifício: não mostrar o perigo, mas olha ele ali na frente, fazendo barulho e balançando a plantação. E o filme não alcança nem a marca de 90 minutos de projeção, evitando que a tensão contida em cada frame se dilua em um epílogo desnecessário ou em conversas sem cabimento no meio de situações de extremo perigo. Ainda não disse, mas os vilões do filme são javalis envenenados. Agora que tenho a sua atenção, tá aqui o torrent dessa obra prima (se estiver em SP, recomendo muitão que veja no cinema. Terá mais três exibições na mostra).

Cotação: 5 javalis empalhados.